Em 21 de junho de 1926, o Santo Padre, o Papa Pio XI, pela Bula ‘Ea Est In Praesenti” (Ela está na presença) criava o Bispado da Noroeste, tendo sua sede no município de Cafelândia – SP, A instalação que deu existência jurídico-canônica à nova Diocese aconteceu na Matriz de Nossa Senhora do Carmo, a oito de setembro do mesmo ano, por procuração, pelo Padre Victor Maria Cravron, delegado de Dom Carlos Duarte da Costa, Bispo de Botucatu – SP, que ficou com o encargo de Administrador apostólico até a posse do novo bispo que só aconteceria três anos mais tarde. A Matriz de Nossa Senhora do Carmo ostentou o título de Catedral até 1933, quando foi concluída a construção da Catedral Santa Isabel da Hungria. Compreendia a nova Diocese duas grandes regiões do Estado de São Paulo: a chamada Noroeste e a Alta Paulista. A primeira formada então pela longa faixa de terra entre o Rio Tietê e o Rio Feio, desde o Rio Tibiriçá às barrancas do Rio Paraná no município de Castilho – SP; a segunda, formada pelas terras entre o Rio Feio e o Rio do Peixe, de Garça às margens do Rio Paraná no município de Parnorama – SP.

O primeiro bispo, Dom Áttico Eusébio da Rocha eleito a 17 de dezembro de 1928, por Sua Santidade Papa, Pio Xl e transferido da Diocese de Santa Maria, no Rio Grande do Sul. Sua posse se deu a 9 de junho de 1929. Durante seu governo foram criadas as seguintes paróquias: Garça – SP, Vera Cruz – SP, São Bento – Marília- SP, Santa Isabel da Hungria – Catedral Diocesana em Cafelândia- SP – (28/02/1931), Guaiçara – SP (29/12/1931), Guararapes – SP (Imaculada Conceição – 03/12/1934) e Bento de Abreu – SP (10/01/1933). Lema de Dom Eusébio: Mihi vivere Christus est (Para mim viver é Cristo).

Elevado à dignidade de Arcebispo de Curitiba – PR, Dom Áttico foi substituído por Dom Henrique César Fernandes Mourão, Sdb, eleito por Sua Santidade o Papa Pio XI a 16 de dezembro de 1935 e transferido da Diocese de Campos dos Goytacazes, no Rio de Janeiro. Sua posse se deu a 10 de março de 1936. Dom Henrique Mourão criou as seguintes paróquias: Guarantã – SP (18/04/1936), Getulina – SP (1/06/1936), Bilac – SP (1/11/1936), Santo Antônio – Marília – SP, Oriente – SP, Pompéia – SP, Herculândia – SP – Sant’Ana, Tupã – SP, Paulópolis – SP, Bastos – SP, Parapuã – SP – Canaã, Rinópolis – SP, Iacri – SP, Valparaiso – SP (11/04/1937), Mirandópolis – SP (20/09/1939), Guaraçai – SP (15/09/1938), Andradina – SP – São Sebastião, Lins – SP – São João Bosco (24/05/1939), e Sabino – SP (14/11/1940). Ainda na sua gestão foi construído o Seminário Menor Nossa Senhora do Rosário em Lins – SP, inaugurado em 22 de março de 1942.

Em 29 de março de 1945 veio falecer em São Paulo – SP onde se encontrava internado há dez dias. O sepultamento se deu a 4 de abril na Catedral Diocesana Santa Isabel da Hungria em Cafelândia – SP.

Lema de Dom Henrique Cesar F.Mourão: Nec Mora nec quies ( Nem adiamento, nem descanso).

Com a morte de Dom Henrique Mourão a sede ficou vacante por três anos, ficando Monsenhor Victor Ribeiro Mazzei com o encargo de Vigário Capitular. Podemos destacar desse período a ordenação do Pe. Norberto Massaru Kondó, ordenado em 8 de dezembro de 1945, veio falecer  em 17 de junho de 2008, depois de 62 anos como presbítero da Igreja Particular de Lins. Desse período foram criadas as paróquias: Quintana – SP, Lucélia – SP, Osvaldo Cruz – SP, Araçatuba – SP – São João e São Judas Tadeu (03/11/1947) e Dracena – SP.

Depois de 38 meses de Sede Vacante, em 29 de maio de 1948, foi eleito o novo Bispo de Cafelândia, Dom Henrique Gelain, transferido da Diocese de Cajazeiras na Paraíba. Em 22 de agosto do mesmo ano é empossado como terceiro bispo da Diocese.

Em 30 de agosto de 1950, a sede da Diocese foi transferida para Lins, pela Bula “Apostolicis Sub Plumbo Litteris” pelo Santo Padre, o Papa Pio XII, Sendo Dom Henrique Gelam o Primeiro bispo de Lins – SP. Com a transferência da Sede, a Paróquia de Santo Antônio foi elevada à categoria de Catedral Diocesana, ficando a Catedral de Santa Isabel da Hungria, com o título de Concatedral.

Em 16 de fevereiro de 1952, pela Bula “Ad Episcoporum Munus”, é criada pelo Papa Pio XII, a Diocese de Marilia – SP, totalmente desmembrada de Lins, nas terras da Alta Paulista – de Garça – SP a Panorama – SP. Sua instalação se deu em 12 de outubro do mesmo ano, ficando Dom Henrique Gelaim como Administrador Apostólico até 21 de março de 1954, quando Dom Hugo Bressane de Araújo assume como primeiro bispo diocesano de Marília – SP.

Em 1953, sob a coordenação do Pe. Norberto Kondó, atendendo pedido de Dom Henrique Gelain inicia a grandiosa construção do Santuário Nossa Senhora de Fátima, que mais tarde seria declarado por Dom Luiz Colussi, como Santuário Diocesano Mariano.

Em 21 de novembro de 1954 foi fundado o Jornal Bandeirante, órgão oficial da Diocese.
Durante o governo de Dom Gelain foram criadas as paróquias de: Flórida Paulista – SP, Pacaembu – SP, Piacatu – SP, Lavínia – SP, Gracinópolis – SP, Tupi Paulista – SP, Lins – SP -São José Operário, Murutinga do Sul – SP (12/1956), Araçatuba – SP -Coração de Maria, Guaimbê – SP, Castilho – SP, Andradina – SP -N. Sra. das Graças, Guararapes – SP – São Pedro.

Em 15 de fevereiro de 1964, pela Bula “Christi Regis” o Santo Padre, Papa Paulo VI cria a Diocese de Bauru – SP, designando Dom Vicente Marchetti Zioni como primeiro Bispo. A nova Diocese foi instalada a 17 de maio do mesmo ano, na Festa de Pentecostes. Passou à nova Diocese as seguintes paróquias da Diocese de Lins: Santa Catarina de Alexandria de Arealva – SP, São João Batista de Iacanga – SP e São Sebastião de Avaí – SP.

Lema de Dom Henrique Gelain: In corde regnat Omnium (Ele reina no coração de todos)

Com a transferência de Dom Henrique Gelain para a Diocese de Vacaria, no Rio Grande do Sul, em 1964, foi eleito para bispo de Lins, Dom Pedro Paulo Koop, Msc, na época, Pároco da Paróquia de Santa Teresinha de Bauru – SP. A eleição deu-se a 27 de julho de 1964, tomou posse, por procuração, em 26 de novembro do mesmo ano, sendo seu procurador o Monsenhor Luiz Gonzaga Pasetto, pois Dom Pedro estava em Roma no Concílio Vaticano II. No dia 14 de março de 1965, chegou oficialmente à sua Sede Episcopal. Durante o período que ficou vacante a Sede, de 17 de julho a 26 de novembro de 1964, esteve à sua frente como Vigário Capitular o Monsenhor Luiz Gonzaga Pasetto.

Dom Pedro Paulo Koop, MSC trouxe à Diocese sacerdotes Montfortinos (1967), Espíritanos (1968); quatro sacerdotes da Arquidiocese de Utrechet, Holanda (1967-68), Frades Menores Franciscanos (1969), um sacerdote da Diocese de Yokahama, Japão, para cuidar da missão nipo-brasileira, dois sacerdotes belga (1975) entre outros. Criou o Seminário Maior de Filosofia, de caráter regional, (1977), nas dependências do Seminário Nossa Senhora do Rosário, que estava desativado desde 1967. Consta ainda de seu governo a criação do Seminário Menor São João Batista em Alto Alegre – SP em 5 de janeiro de 1975, sob a Coordenação do Pe. João Guilherme Braem, benemérito presbítero, falecido em 22 de fevereiro de 2009, aos 85 anos.

A marca decisiva de seu governo foi sua visão para as questões sociais. Trabalhou incansavelmente para dar a Diocese um rosto de Igreja dos pobres. Para isso criou muitos organismos para cuidar e formar o povo. Entre as suas muitas iniciativas nesse campo criou o IPPH – Instituto Paulista de Promoção Humana, fundado em 01 de julho de 1967.

Para a formação do laicato, outra área que muito se dedicou, fundou em 03 de maio de 1974, o ITEL – Instituto Teológico de Lins, que hoje recebe seu  nome.

Criou o Boletim Informando em 1975, segundo Dom Pedro “Um elo a mais pela comunicação”.
Com grande entusiasmo e extensa comemoração foi celebrado em 1976 o cinqüentenário da Diocese, com a publicação de um livreto para a ocasião. Entre as comemorações, um grande acontecimento que marcaria seu governo foi o Primeiro Concílio de Jovens, realizado de 18 a 24 de julho de 1977, em Lins – SP.

Ainda é do seu governo se deu a realização da Primeira Assembléia Diocesana acontecida nos dias 4 e 5 de março de 1978, em Araçatuba – SP.

Atendendo aos desafios propostos pelo Concílio Vaticano II, em 17 de dezembro de 1972, ordenou o primeiro Diácono Permanente, Manoel Alves de Lima, que mais tarde seria ordenado presbítero.

Durante seu governo foram criadas as paróquias de: Braúna – SP, Barbosa – SP, Alto Alegre – SP, Araçatuba – SP  – Bom Jesus da Lapa, Santo Antônio, São José Operário e Sant’Ana, Gabriel Monteiro – SP, Clementina – SP, Luiziânia – SP, Pongaí – SP, Andradina – SP  – Bom Pastor; Lins  – SP – São Benedito  e a Paróquia Ambiental Santa Maria Madalena (para atendimentos ás mulheres marginalizadas) em Lins – SP.

Em 1980, a Diocese recebe Dom Luiz Colussi, como Bispo Coadjutor de Dom Pedro Paulo. Aos completar 75 anos Dom Pedro Paulo renunciou e Dom Luiz assume a Diocese como seu Bispo Titular aos 10 de outubro de 1980, como quinto Bispo. Dentre as realizações de seu governo podemos destacar a elevação da Paróquia de Nossa Senhora de Fátima em Lins – SP à dignidade de Santuário Diocesano Mariano e a Criação da primeira Casa de Formação seminarística em Promissão – SP.

Em 14 de dezembro de 1983, o Papa João Paulo II, transfere Dom Luiz para a Diocese de Caçador em Santa Catarina. Deixa Lins no dia 3 de fevereiro de 1984. Na vacância é eleito, pelo Colégio dos Consultores, o Pe. Geraldo Eugênio Saleme como Vigário Capitular em 10 de fevereiro de 1984.

Ainda neste mesmo ano, a 14 de março, é eleito Bispo, Dom Walter Bini, Sdb, pelo Papa João Paulo II, que tomaria posse em 29 de junho, como sexto Bispo Diocesano. Ele esteve à frente da Diocese até o dià 17 de junho de 1987, quando um gravíssimo acidente encerraria sua missão. Junto dele também faleceram monsenhor Geraldo Eugênio Saleme, na época Cura da Catedral, e a catequista Terezinha de Nadai. Dentre suas realizações destaca-se a criação da Biblioteca do ITEL.

Com o falecimento de Dom Walter Bini a sede fica vacante, tendo o Pe. José Oscar Beozzo o incumbência de assumir como Administrador Diocesano, o que cessou em 27 de fevereiro de 1988, com a posse de Dom Irineu Danelon, SDB, que fora eleito em 02 de dezembro de 1987, pelo saudoso Papa João Paulo II e ordenado em 31 de janeiro de 1988.

A 23 de março de 1994, pela Bula Progredien Usque, o Papa João Paulo II, cria a Diocese de Araçatuba – SP, totalmente desmembrada de Lins – SP, tendo Dom José Carlos Castanho de Almeida, na época Bispo de Itumbiara, GO, como primeiro Bispo.

Do governo de Dom Irineu pode-se destacar, as seguintes realizações: criação das paróquias de: São Benedito,São Cristóvão em Birigui – SP;Santo Antônio em Uru – SP ( 23/02/1996); Divino Espírito Santo em Araçatuba – SP;Santa Teresinha (23/05/21997), Sagrada Família (04/08/2001) e Santa Clara em Penápolis – SP (15/07/2008); São Lucas Evangelista (11/06/2009), São Judas Tadeu (27/05/2010), em Lins – SP; Santa Luzia em Promissão – SP (27/05/2010). Paróquia São José Operário em Penápolis – SP (25/01/2011).Reativou a Paróquia da Concatedral Santa Isabel da Hungria em Cafelândia – SP (22/09/2011); Santo Expedito em Lins – SP (06/01/2013); Nossa Senhora de Guadalupe em Pirajuí – SP (26/01/2013); Nossa Senhora de Guadalupe (03/02/2013) e São Miguel Arcanjo em Lins – SP (11/08/2013) e Nossa Senhora Aparecida em Pirajuí – SP (20/01/2014);  Promoveu a reabertura do Seminário Nossa Senhora do Rosário em Lins – SP; Fundou a Rádio Regional Esperança FM (18/06/1992);Ainda destaca-se a criação das Casas de Formação em Cafelândia – SP, do Seminário Propedêutico Sagrada Família em Lins – SP (1/2/2001) e o Seminário de Teologia Nossa Senhora da Salette (13/03/2006) em Marília – SP; Construiu a casa de Acolhida  para sacerdote idosos em Lins – SP. Ainda destaca-se a criação do Curso Modular Teológico para Leigos, Curso Bíblico Ecumênico Diocesano e a Escola São Lourenço para formação de Diáconos Permanente.

Com a aceitação da renúncia de D. Irineu Danelon, SDB, a Santa Sé nomeou no mesmo dia, Dom Francisco Carlos da Silva, transferido o da sede episcopal de Ituiutaba – MG. Durante o tempo de sede vacante foi eleito pelo Colégio dos Consultores o Revmo. Pe. Reginaldo Marcolino como Administrador Diocesano, para administrar a diocese até a posse do bispo eleito.

No 27 de novembro na festa de Nossa Senhora das Graças em grande solenidade na Catedral Diocesana Santo Antonio de Pádua em Lins – SP, Dom Francisco Carlos da Silva foi empossado canonicamente como oitavo bispo Diocesano de Lins. Seu lema Episcopal: “Ide para a vinha”.

Pe. Washington Lair Urbano

Chanceler do Bispado